Suicídio é a segunda causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos, diz OMS

No Brasil foram registrados 13.467 casos de suicídio, sendo 10.203 deles mortes de homens

0
37

A segunda causa de morte entre jovens de 15 e 29 anos é o suicídio, diz dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), ficando atrás apenas do acidentes de trânsito.

Segundo os dados do novo relatório da OMS, a cada 40 segundos uma pessoa se suicida, sendo que 79% dos casos se concentram em países de baixa e média renda.

Quando separados por gênero, o suicídio é a segunda causa de morte entre meninas, perdendo apenas para complicações na gravidez, e a terceira entre meninos, após acidentes de trânsito e violência.

A OMS estima que cerca de 800 mil pessoas anualmente morrem por suicídio, os dados divulgados são do ano de 2016. No Brasil foram registrados 13.467 casos, sendo 10.203 deles mortes de homens.

Enquanto a taxa global de suicídio caiu entre os anos de 2010 e 2016, na região das Américas houve um crescimento de 6%. Outro dado da OMS é que 52,1% das pessoas que se suicidaram tinham menos de 45 anos.

Muitas pessoas em risco de suicídio estão com problemas em suas vidas entre os desejos de viver e de acabar com a dor psíquica.

Isolamento, mudanças marcantes de hábitos, perda de interesse por atividades de que gostava, descuido com aparência, piora do desempenho na escola ou no trabalho, alterações no sono e no apetite, frases como “preferia estar morto” ou “quero desaparecer” podem indicar necessidade de ajuda.

“É importante ficar atento às frases de alerta, pois por trás delas estão os sentimentos de pessoas que podem precisar de apoio emocional. E, é preciso investigar e buscar um especialista, sempre que possível. Quando identificado, o profissional de saúde pode ajudar a diminuir o risco de suicídio”, declara o psiquiatra Caio Pinheiro da Cia da Consulta.

No dia 10 de setembro é celebrado o Dia Mundial da Prevenção ao Suicídio, com várias campanhas que alertam sobre os cuidados com pessoas que estão a nossa volta e precisam de apoio e cuidado.

“A primeira medida preventiva é entender que falar sobre o suicídio é proteger o próximo. Ouvir atentamente e com calma, entender os sentimentos com empatia, expressar respeito pelas opiniões e valores, conversar honestamente, mostrar sua preocupação, cuidado e afeição e focar nos sentimentos da pessoa. Essas atitudes são medidas que podem ajudar quem está com o risco de suicídio e aliviar a dor psíquica. O melhor caminho é a conversa, quebrar tabus e compartilhar informações para que seja estimulado o diálogo. Saber reconhecer os sinais de alerta é um passo crucial”, completa o profissional.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, informe seu comentário
Por favor, informe seu nome aqui